quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Folhas de Outono














Como uma autentica aguarela
De cores pastel pintada
O Outono chegou mansinho
Bem cedo pela madrugada

As árvores despedem-se,
Das folhas que vão caindo,
Formando um manto multicolor,
No imenso chão que vão cobrindo.

De amarelo, laranja e vermelho
Ficam os jardins e ruas pintados
Cores suaves e melancólicas
Com todos os seus dourados

E as cores não acabam
Nesta colorida estação
Com o pintor do por-do-sol
Que deu lugar ao Verão

As noites são mais longas e frias
E pedem aconchego e ternura
O coração fica mais quente
E instala-se em nós doçura

Nesta melancolia,
Neste quadro colorido
A sensação é de paz
Das folhas que hão vivido

Céci

4 comentários:

Agulheta disse...

Olá Céci! Gosto de vir por aqui e ler bonitas palavras ditas de coração.Estas foram a natureza,mais propriamente ao Outono que temos a porta,os tons são lindos na folhagem e nos corações que ficam mais aconchegados.
Beijinho.

Sonhadora disse...

Minha querida

Muito belo e terno o teu poema...um hino ao Outono.

Adorei e deixo um beijinho com carinho.

Sonhadora

João Morgado disse...

Volta primavera
(João Morgado)

Volta primavera,
Trás as andorinhas.
Os beirais sem vida,
perdem toda a graça.
Dizias que vinhas.
Que davas guarida.

Ves o maltrapilho,
no banco da praça.
Se já foi quimera,
hoje não é nada,
são velhos farrapos,
cansados da espera.

E fome e cansaço
sem chama alguma,
no limitado espaço,
duma alma em espuma.
Dum sonho devasso,
por coisa nenhuma.

Volta primavera.
Trás as andorinhas.
Este tempo frio,
não mostra quem eras,
nem me diz se vinhas.
Volta primavera, com teu rodopio.

Quero as flores na praça,
num jardim em flor.
Sem ti primavera,
não cessa a desgraça.
Expirando o amor,
nada é o que era.

Secreta disse...

Chega o Outono com todo o seu encanto :)
Beijito.