segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Quero que sejas Feliz em 2015


Chama-me....

Posso não ser perfeita,
Nem melhor que ninguém
Mas quero que sejas feliz em 2015!
Se tiveres frio chama-me,
Aqueço-te com a minha amizade
Quero que estejas feliz!
Se te sentires só chama-me,
Eu far-te-ei companhia.
Quero que estejas feliz!
Se estiveres triste, chama-me
Eu far-te-ei sorrir!
Quero que estejas feliz!
Se tiveres saudades de alguém, chama-me,
E fala comigo, partilharemos esse sentimento!
Quero que estejas feliz!
Se o teu dia correr mal, chama-me
Vamos tomar um café e esquecer esse dia.
Quero que estejas feliz!
Enfim, eu posso não ser perfeita,
Mas mesmo assim, chama-me,
Não sou manta quente,
Não substitui ninguém,
Não mato saudade,
Não sou a Alegria
Não apago um dia mau,
Mas sou tua AMIGA!
E quero que sejas FELIZ em 2015.

Cecília Macedo.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Uma época e muitas saudades...



Estás a chegar,
E eu já começo a ficar nostálgica,
Com saudades dos que partiram,
E com um nó apertado no peito,
Porque sinto falta dos que estão longe.

Como é tão diferente esta época,
Dos meus tempos de criança,
Onde havia festa, a família,
Os presentes, risos e sorrisos
E o cheirinho da comida da mãe!

Não mudaram os hábitos,
As luzes as musicas,
As rabanadas e o bolo-rei,
Alegria das crianças,
E a caridade própria da época!

Mas eu mudei,
Os tempos mudaram,
As crianças mudaram,
E até o Pai Natal não é o mesmo!

O meu trazia-me presentes,
Entrava pela chaminé,
E fazia barulho quando ia embora!

Como eu gostava,
Que o tempo voltasse atrás,
E voltasse a sentir a mesma alegria
Nesta época festiva!

Resta-me sonhar, e acreditar
Como quando era menina,
Estes são para mim presentes da VIDA!

Sim falo do Natal!

Cecília Macedo
26/11/14

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

O Meu Amor por Ti...


Pode secar o mar,
A terra desabar,
Mas o que sinto por ti,

Nunca vai acabar!
Pode nunca mais ser dia,
A Lua morrer
O Sol desaparecer,
Mas o que sinto por ti,
Para sempre vai viver!

Pode o pássaro não voar,
O peixe não nadar,
O gato não miar
Mas o meu amor por ti,
Irá para sempre durar!

Pode a rosa não ter cheiro,
E até secar o Abrunheiro,
Mas o meu amor por ti!
Será sempre verdadeiro!

Cecília Macedo
16/10/14

Quero dançar na Chuva


Hoje eu quero dançar na chuva!
Hoje eu vou dançar na chuva,
Tirar os sapatos e ir para a rua,
Quero saltar e dançar,
Dançar ate a chuva parar!
Hoje eu quero rodopiar,
Beber água do céu,
E os meus cabelos molhar!
E na dança molhada,
Penso como é abençoada,
A água que cai do céu
E me deixa inspirada!
E rodopio, com a chuva a cair,
De pés descalços nas pedras da rua,
Porque eu só quero a chuva sentir,
Até que à noite chegue a Lua!
E quando a chuva parar
Eu vou por os braços no ar
E agradecer a Deus,
Por poder sentir e olhar!

Cecília Macedo
15/10/14

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Nas asas de um Condor...



Quero voar nas asas de um Condor,
Rasgar os céus, e para lá do horizonte
Descobrir um Mundo sem dor!

Sobrevoar vales e montes
E acenar ao girassol!
Ver as cidades e as pontes
Sentir o calor do Sol.

Leva-me contigo Condor,
Mostra-me que a Paz é possível,
E que onde há um Amor maior,
Nada na vida é impossível!

Quando muito alto no teu voar,
Estiver nas tuas asas adormecida,
Não me acordes, deixa-me sonhar,
Que voar é bom demais para a Vida!

Leva-me nas tuas asas Condor,
E vamos juntos procurar,
Um Mundo que seja melhor
E que todos saibam Amar!

Cecília Macedo
14/10/14

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Hoje estou Nim...



Hoje não estou não,
Nem estou sim!
Estou Nim... 

A chuva que não quer parar,
O silêncio que se faz sussurrar,
Deixa-me quase assim,
Nem não, nem sim!

E nesta chuva que dança,
A monotonia avança,
Eu fico quase assim,
Nem não, nem sim!

Dia triste e escuro,
Em que não sei o que procuro,
E me deixa quase assim,
Nem não, nem sim!

As árvores balançam
Em movimentos lentos
Deixo voar meus pensamentos.
Mas quase fico assim,
Nem não, nem sim!

Vem Sol,
Venham dias coloridos,
Sorrisos na cara
E corações menos doridos!

Voltem...
Porque eu não quero ficar assim,
Nem não, nem sim!

Cecília Macedo
13/10/14


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

PAZ



Eu quero Paz,
O Mundo quer estar em Paz,
A guerra não nos satisfaz!

Enquanto se fabricam armas
E se treinam homens para matar,
A Paz será uma Utopia
Que jamais poderemos desfrutar!

Formam-se exércitos,
Ensinam-se crianças a lutar,
Dando-lhes armas para as mãos,
E incentivando-as a odiar!

A Guerra não terá fim,
Enquanto o amor não proliferar,
A ganância e a busca pelo poder,
Vai com o Homem acabar!

Podemos começar  com Amor,
Amando toda e qualquer criança,
Ensinando-as a espalhar o bem
Com toda a perseverança!

E a nossa guerra diária,
Pode também ser vencida
Estando bem connosco próprios
Teremos sempre Paz na vida!

Cecília Macedo

(22/09/14)

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Na minha Terra



Na minha terra,
Tem rio e mar,
Pontes e barcos,
E gaivotas a voar!

Na minha terra,
Tem edifícios enormes,
Que aos poucos substituem
Os grandes espaços verdes!

Na minha terra,
Mudaram estatuas,
Acabaram com jardins,
E as calçadas portuguesas
Dão lugar a granito escuro!

Na minha terra,
Não se aposta em profissões,
Em conservação de edifícios,
Nem em manter as ruas limpas!

Na minha terra,
Ainda há muita gente a viver,
Em casas degradadas e que
Não têm  saneamento!

Na minha terra,
A população envelhece,
Há cada vez mais desempregados,
E os jovens com cursos superiores,
São obrigados a emigrar!

Na minha terra
Há bairros problemáticos,
Onde as crianças andam na rua,
E faltam à escola!

NA minha terra...

Na minha terra,
Tem rio e mar,
Pontes e barcos,
E gaivotas a voar!

Cecília Macedo
16/09/14



segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Hoje quero estar só!




Hoje quero estar só.
No tempo, nas palavras e no espaço,
Esconder-me em folhas de papel,
Sentir nas letras um doce abraço!

Como é bom este sentir,
No silêncio da escrita,
Que se transforma em melodia
E faz de mim uma eremita!

Fujo das confusões,
Das palavras falsas e vãs,
Preciso só de silêncio.
E ficar na minha  Paz!

E nesta calma que me apraz
Vou ficar bem escondida
Escrever  ou poetar
Com uma vontade incontida!

Por isso,
Só quero estar só,
Sem deixar de ter a companhia
Do papel e dos meus pensamentos
Que tornam o meu dia Poesia!

Cecília Macedo

15/09/14

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

No meu Sonho!



No meu Sonho!

No meu sonho entrava o mar,
E no mar havia um navio,
No navio um marinheiro,
Que me ajudou a embarcar!

No meu sonho entrava o mar,
E no mar havia um peixe
E o peixe ensinava o caminho
Par onde eu deveria navegar!

No meu sonho entrava o mar,
E ao longe um farol  a brilhar
Que me dava sinais de luz
Para o caminho não errar!

No meu sonho entrava o mar,
E um pôr do sol  fascinante
Que me confortava a alma
De instante a instante!

No meu sonho entrava o mar,
E a Lua ao anoitecer
Vinha com seu manto Dourado,
Só para me adormecer!

No meu sonho entrava o mar,
O navio, o marinheiro e o farol,
No meu sonho entrava o mar,
O peixe, a lua e o por do sol!

Cecília Macedo
Setembro 2014

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Escrevinho...



Hoje na preguiça, eu escrevinho,
Não é poesia, é só o que eu sinto,

Vou ouvir o silêncio,
Dar asas à imaginação,
E de olhos fechados,
Vou prestar atenção!

Enquanto o Sol tímido me aquece,
Num abraço terno e gigante,
Eu sonho estando acordada,
E adormeço por um instante!

E logo vou esperar pela noite,
E para mim será dia.
A Lua nova vai estar cheia,
E sentirei sua magia!

Isto não é um poema,
Porque eu não sou poeta,
Eu apenas escrevinho!
O que sinto com a caneta!

Cecília Macedo

Setembro 2014

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Decreto para o dia de hoje



Decreto do Dia!

Hoje fica decretado,
que vamos estar de bem com a Vida!
Deixamos o ontem, e não pensamos no amanhã,
Hoje... hoje é dia de ser feliz!
Vamos aproveitar o Sol,
O dia de Verão,
Vamos rir e sorrir sem pressa!
Tentar esquecer tu o que nos faz mal,
Porque cada hora, cada minuto, cada segundo,
É um milagre de Vida!

Vamos vestir o nosso melhor sorriso,
Prender o cabelo com fita de sol,
E nas costas a mochila com cheiro a mar,

Depois vamos subir bem alto,
E gritar:
Mundoooooooooo.... Estou aqui para um novo minuto, nova hora,
E um novo dia!

Cecília Macedo

16/07/14

terça-feira, 8 de julho de 2014

Tu...



Quando sentava no teu  colo
Tudo era diferente,
A calma, a paz, o carinho
Faziam de mim mais forte!

O mundo contigo,
Era bem melhor,
Quando eu não o entendia,
Corria para ti e bastava um abraço,
Para me sentir protegida!

Um sorriso teu bastava
Para alegrar meu dia,
A tua voz doce,
A preocupação,
Era tudo o que eu queria!

Hoje tu já não estás,
E em mim ficou
O que ao longo do anos
Me transmitiste,
Amor, carinho e paixão pela Vida,
Mas sinto a tua falta,
E tu esse vazio,
Não me ensinaste a preencher!

Amo-te mais que ontem e menos que amanhã!

Cecília Macedo

08/07/14

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Recuso-me a ser quem não sou!



Quando paro para pensar,
Arrepia-me saber que
Vivo num mundo de aparências!

As pessoas não são sinceras,
Querem agradar a tudo e a todos,
Sei que as vezes não têm outro remédio,
Ou por carências, ou para “viver” melhor!
Mas “bolas”, eu vou deixar de ser EU???

Não VOU, recuso-me.
Quero continuar a dizer o que penso,
Rir e sorrir só para quem gosto,
E mimar quem eu amo!

Não vou dizer Amém, só porque sim!
Essa não seria EU!

Cecília Macedo
03/07/14

quarta-feira, 25 de junho de 2014

É Urgente




É URGENTE

É Urgente,
Dar bom dia, boa tarde e boa noite,
Fazer bem,
E estar de bem com a consciência!

É Urgente,
Libertar-mo-nos de ideias ruins,
De mágoas e dores,
Que só nos fazem sofrer!

É Urgente,
Respeitar os outros,
Deixar as falsidades,
E aceitar as diferenças!

É Urgente,
Deixarmo-nos de queixar da Vida,
E olhar à nossa volta.
Para vermos que há Vidas piores!

É Urgente,
Deixar de ser pessimista,
E correr atrás dos nossos sonhos!

É Urgente,
Amar, namorar,
Beijar e ser feliz!

É Urgente!
Rir, sorrir
E aprender a estar de bem com a Vida,
Só assim poderemos VIVER!

Cecília Macedo
(17/06/2014)

A Vida nem Sempre é Justa


(foto da net)


A Vida nem sempre é justa!

Temos dias que achamos,
Que o tecto do mundo
Nos vai cair na cabeça!

Sentimo-nos a pessoa
Mais infeliz da terra,

Perguntamo-nos porque?!!
Porque?!! E mais Porquê!

Não há respostas,
Não há palavras,
Não há nada
Que nos faça pensar diferente!

Neste momento chega
Uma força não sei de onde,
Uma vontade de lutar,
Que nos faz ficar mais leves!

Tem momentos que sorrimos,
E agarramo-nos a essa força,
Que não nos vai deixar desistir!

Não podemos ter duvidas,
Sabemos que a vida nem sempre é justa,
Mas não tem a ver com merecimento,
E sim com aprendizado!

A vida é bela, e vai sorrir sempre para nós,
Se nós a aceitarmos e sorrirmos para ela!

Cecília Macedo
(17/06/14)

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Diz-me Porquê...




Diz-me porquê!
O Mar é azul,
O Sol é quente,
E a natureza tão perfeita?

Diz-me porquê!
Poluem os mares,
O Sol não aquece a alma,
E a natureza é tão mal tratada?

Diz-me porquê!
As crianças são tão doces,
O homem é tão inteligente,
E as mulheres umas guerreiras?

Diz-me porque!
Morrem crianças à fome,
Inventam as guerras,
E maltratam as mulheres?

Diz-me porquê!
Poluem os rios,
Abandonam os animais,
E destroem a natureza?

Diz-me porquê!
Que parece tudo tão perfeito,
Mas na realidade há tantas imperfeições?

Diz-me...
Cecília Macedo
11/06/14

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Cansada desta política



Estou cansada de ver o meu País na corda bamba!
Cansada dos que prometem mesmo sabendo que não vão cumprir!
Cansada dos  políticos que nunca põem os interesses do povo em
Primeiro lugar!
Cansada de ouvir e ler noticias sobre os corruptos que nos governam!
Cansada de ver o povo a pagar os desfalques na Banca!
Cansada de ver ministros a comprar carros de 86 000 mil euros!
Cansada de ver pessoas que trabalharam uma vida inteira
e verem as suas reformas serem penalizadas!
Cansada de ver políticos acumularem reformas com salários e pensões vitalícias!
Cansada de tanto desemprego!
Cansada de ver escolas e hospitais fecharem!
Cansada de ver jovens forçados a procurem trabalho fora do seu país!
Cansada de ver crianças que andam quilómetros para ir à escola!
Cansada  do desrespeito pelos professores!
Cansada desta política, destes governantes, desta guerra de poder!
Cansada de tanta liberdade e tão pouca responsabilidade!
Estou cansada!

 Cecília Macedo
02/06/14


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Há dias assim!



Há dias assim

Tem dias que sou poema
Mensageira de ilusões
Lágrima de despedida
Sofrendo com decepções!

Tem dias que sou serena,
Como o mar enluarado! 
Melodia  de um cântico
Quase que encantado!

Tem dias que sou  reflexo
Num lago azul adormecido
Espelho todas as angustias.
E erros que tenho cometido!

Tem dias que sou  Sol
Brilhante e que irradia,
Dando luz aos dias escuros,
E fazendo sorrir o meu dia!

Tem dias..
Tem dias que sou feliz
Tem dias que sou triste
Mas todos os dias amo a Vida,
E tudo o que nela existe!

Cecília Macedo
23/05/14


quarta-feira, 14 de maio de 2014

Tudo o que preciso...

Tudo o que preciso...

És uma tela pintada
A aguarela cor de mar.
Onde a saudade habita,
E o ontem quer voltar!

És musica suave,
Num dia de agitação,
Que me tranquiliza
E me trás Inspiração!

És poema singelo,
Sem métrica definida,
Que é muito bom de ler,
E alegra a minha Vida!

És pintura, musica e poema.
O que preciso para respirar,
A calmaria, beleza e côr,
Que ainda me faz sonhar!


Cecília Macedo
(10/05/14)

segunda-feira, 12 de maio de 2014

O Violino








O Violino

Nada para fazer,
A manhã bonita,
Rumei à Ribeira!

Sentei num banco de pedra
E contemplei o “meu” rio,
Parecia um espelho,
Que quebrava
Quando um barco a motor passava!

Os turistas e alguns madrugadores
Começavam a dar alma
À Ribeira que acabava de acordar.

Até mim...
Chegou o som de um violino,
Que se misturou
Com os meus pensamentos!

Aquela melodia parecia um gemido,
Dor, grito, solidão talvez,
Mas chamava por mim!

Como estava só,
Decidi procura-la,
Segui  o som,
Pelas ruas estreitas,
E descobri o violino!

Tocado por um homem
De cara marcada pela idade,
De olhos doces e tristes,
Que já não sabia sorrir!

Aproximei-me,
E sem falar sorri!
Parecia que o violino chorava!
E mesmo sendo eu o único publico,
Ele não parou de tocar!

Ficou dentro de mim
Aquela cara, aqueles olhos
Mas mais do que isso,
Ficou aquele choro de dor,
Saudade ou talvez solidão!

Cecília Macedo
(12/05/14)

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Primeiro 1º de Maio






O Primeiro 1º de Maio

O povo saiu à rua,
E de punho erguido, 
Acenava à liberdade, 
Respirava-se Abril!
E todos juntos festejavam,
O dia do trabalhador!
A Av. pintou-se se vermelho,
E nos rostos cansados
De tanta opressão,
Raiava uma luz de esperança,
Um tempo novo, 
Onde poderiam livremente
Reivindicar os seus direitos!
Sentia-se ainda o cheiro a cravos,
Ouviam-se hinos à liberdade,
E bandeiras vermelhas nas mãos
De quem sempre trabalhou,
E lutou contra o excesso de horas de trabalho
E os baixos salários!
Gritava-se por um país melhor
Onde houvesse maior justiça social,
E que dignificasse o trabalho operário!
E é nesta esperança, que continuamos!

E apesar de hoje desesperamos, 
Temos que avivar o 1º de Maio,
Homenageando quem lutou e morreu, 
Na luta dos trabalhadores!

Cecília Macedo

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Reflorir Abril








Entre a fome e a guerra
Nasceu em Abril um cravo
Anunciava a liberdade
E o fim de um povo escravo!

Pintou-se o país de vermelho
As espingardas floriram
Os exilados voltaram
As portas das prisões abriram!

Acabava assim um regime
Que maltratou e humilhou!
E renascia de novo um povo
Que durante décadas silenciou!

Um povo que abre a janela
E não tem medo de gritar
Que a liberdade de Abril
Ele conseguiu conquistar!

E passados 40 anos
Resta-nos Abril cumprir,
Lutar pelo que acreditamos
E deixa-lo reflorir!

Cecília Macedo

23/04/14

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Arriscar é Ser Livre!

Arriscar é ser Livre!

Se rirmos,
Arriscamo-nos a parecer tolos!

Se chorarmos,
Arriscamo-nos a parecer sentimentais!

Se estendermos a mão,
Arriscamo-nos a envolvermo-nos!

Se defendermos sonhos ou idiologias,
Arriscamo-nos a perder pessoas!

Se amarmos,
Arriscamo-nos a não ser correspondidos!

Se confiarmos,
Arriscamo-nos a decepcionarmo-nos!

Se expusermos os nossos sentimentos,
Arriscamo-nos a mostrar o nosso “Eu”!

Se vivermos,
Arriscamo-nos a morrer!

Mesmo assim, eu quero Arriscar!
Quem não arrisca,
Não ama, não cresce, não muda,
E sobretudo, não Vive!

Eu quero Arriscar,
Porque eu quero ser LIVRE!

Cecília Macedo (09/04/14)


segunda-feira, 7 de abril de 2014

Amor não deve ser dor!








Um dia vou falar de Amor,
Gostava de escrever,
Poemas de amor e dor!
Mas não sei como fazer...

Leio poemas sentidos,
Com saudade e amargura,
Vejo corações partidos,
A precisarem de cura...

As palavras são duras,
De cheiro a fel,
As lágrimas escuras
E de alma cruel!

O Amor é assim?
Faz doer, faz mal?
Eu tenho para mim!
Que o amor é especial!

Será melhor não redigir,
Nem falar deste Amor,
O Amor deve fazer sorrir!
Não deve nunca causar dor!

Cecília Macedo
04/04/14

quinta-feira, 27 de março de 2014

Quando olho para o Mundo...






Quando olho para o Mundo...

Questiono-me!
Será que o Mundo foi criado para ser assim?!
Homens que matam,
Guerras que não acabam,
Doenças sem cura,
Crianças violadas,
Pessoas com fome,
Velhos abandonados,
Pais desesperados,
Filhos desnorteados,
Animais maltratados,
Flora destruída,
Fauna em extinção,
Sociedade que não respeita,
Raiva, inveja, ganância!
Quando olho para o Mundo,
Questiono-me!

Cecília Macedo
26/03/14.

segunda-feira, 24 de março de 2014

Sou Tripeira!

Sou Tripeira!

Sou tripeira sim senhora,
Portuense e orgulhosa
Do meu povo da minha gente
Que fazem de mim “baidosa”!

Trago nos olhos o Rio Douro
E sua neblina matinal,
Todo o mistério que o envolve
Parece uma paisagem surreal!

De barcos Rabelos ancorados
Vestidos com velas quadradas
O Douro dá mais encanto
Ás encostas escarpadas!

Porto cidade antiga,
Com lendas e tradições,
De ruelas escondidas
Com monumentos e atracções!

Os tripeiros são afáveis,
Não frios como parecem!
São muito trabalhadores,
Mas não ganham o que merecem

É um Povo que dá o que tem
De sorrisos francos e honestos,
Trata toda a gente bem
E recebe de braços abertos!

Sou portuense sim senhora,
De alma e coração,
Também troco os bês pelos vês,
Porque sou tripeira, pois então!

Cecília Macedo
24/03/14

sábado, 22 de março de 2014

Um dia tudo será como devia ser!



Um dia …
Nasceremos de novo,
E adormeceremos com canções de embalar!

Um dia…
Brincaremos livres nos jardins,
De relva fresca e perfumada!

Um dia…
Iremos para a escola e aprenderemos,
A ser livres e a respeitar!

Um dia…
Ouviremos palavras de amor e esperança,
E esqueceremos a guerra e a fome!

Um dia…
Não haverá dias cinzentos,
E o nosso coração está em paz!

Um dia…
Sorriremos porque o mundo,
Será como devia ser!

Cecília Macedo
23/03/14




segunda-feira, 17 de março de 2014

É claro que tenho saudades...


É claro que tenho saudades!

É claro que tenho saudades,
Saudades do tempo,
Saudades de quando eras criança,
Saudades de te ver crescer,
Saudades das conversas,
Saudades da troca de opiniões,
Saudades de TI!

Mas, tudo isso  é compensado,
Com tudo o que me dás,
Cresceste,
Tornaste-te numa linda mulher,
Num maravilhoso ser humano,
E sobretudo na filha
Que todos os pais merecem ter!

Gosto de te ver feliz,
E apesar da distância
O que sentimos é tão grande
Que é como se estivesses perto,
Mereces tudo de bom,
E sei que com a tua persistência,
Determinação,
E personalidade forte,
Vais conquistando dia a dia,
Tudo o que sonhaste para ti

Mas é claro que tenho saudades,
Saudades do tempo,
Saudades de TI!

Mas estou feliz porque Tu estás feliz ((*_*))

Cecília Macedo
17/03/14

sexta-feira, 14 de março de 2014

Sonhos



Sonho livre,
Acordada,
No sonho sou descomedida,
Só consegue Viver quem sonha
Porque o “Sonho comanda a vida”!

Rodeados de magia
Os meus sonhos são luar,
Nunca desisto deles,
Porque os quero concretizar!

Em qualquer caminhada
È preciso e é urgente Sonhar
Apaixonarmo-nos pela Vida.
Faz com que valha a pena lutar!

Vive quem sonha
Mesmo o sonho mais secreto
Morre quem desiste,
De sonhar por completo!

Sonhar é renovar a esperança
É levar a Vida a sentir,
Sonhar não é só de poeta
É do mundo que precisa sorrir!

Cecília Macedo

14/3

quinta-feira, 13 de março de 2014

Adoro o Sol..



Adoro acordar com Sol
E sentir o fresco da manhã
Ver as pessoas de cores claras
E Sorrisos cor de romã!

Adoro o céu azul
Com o rasto dos aviões
Os bandos de pássaros
E as nuvens de algodão!

Adoro ver as árvores a florir
As crianças no jardim
O cheiro a relva verdinha
E ver o salto do chapim!

Adoro, os dias bonitos,
E toda a sua harmonia
Sorrisos, cheiros e cores
E sentir nisso  alegria!

Cecília Macedo
13/03/14

quarta-feira, 12 de março de 2014

Lusíadas



Hoje num grupo de poesia, fizeram um desafio:

"QUARTA FEIRA TEMÁTICA "Os Lusíadas"
A 12 de Março de 1572 são publicados "Os Lusíadas" de Luís Vaz de Camões"

Aceitei o desafio e fiz um poema:

Lusíadas

Vamos falar dos Lusíadas
E de Portugal poetizado
Faz hoje 442 anos
Que o mesmo foi publicado

Os Lusíadas é uma epopeia
Que os portugueses glorifica
Fala-nos nos descobrimentos
E que o poeta, a D. Sebastião dedica!

È composto de dez cantos,
Estrofes mil cento e duas,
Dividido em quatro partes
Uma obra única e muito sua!

Envaidecido por ser português
E um poeta sempre alerta
Descreve intervenções de Deuses
E como ajudaram nas descobertas

E só podia escrever assim
O Grande Luís Vaz de Camões
Os Lusíadas a maior epopeia
Hoje escrita em 4 versões.

Cecília Macedo

terça-feira, 11 de março de 2014

Shiuuuu...









Shiuuu..

Eu não quero ouvir mais nada!
Palavras loucas, palavras poucas
Palavras que não dizem nada!

Shiuuu.

Eu não quero ouvir palavras ocas
Palavras falsas, palavras ásperas
Palavras desenhadas e gastas!

Shiuuu..

Eu quero silencio,
Porque nele posso ouvir
O som verdadeiro do vento,
E o bater sincero do meu coração!

Shiuuuu...

Eu não quero ouvir mais nada!

Cecília Macedo

11/03/14

segunda-feira, 10 de março de 2014

Dormi ao Luar...


Hoje dormi ao luar,
Senti a brisa do vento,
E um perfume no ar!

Coberta pelo céu estrelado,
Envolvida nos braços do vento,
Fui aproveitando o silêncio
E todo aquele momento!

Aromas doces de jasmim!
Que pausadamente exalava
Fizeram-me adormecer
Quando acordada sonhava!

E na quietude da noite
Adormeci ao luar
Abraçada pelo vento
E inebriada pelo ar!


Cecília Macedo

quarta-feira, 5 de março de 2014

Adquirir o meu livro


Para adquirir o meu livro...


Cecília Macedo

Os meus convidados


Os meus convidados, tenho pena de não ter os filmes dos que faltam a poeta Alice Santos e Eugénia Machado.


Poeta António Lima Duarte (clicar)

Poeta Carlos Lacerda (clicar)

Poeta João Morgado (clicar)



Cecília Macedo



Um sonho realizado

Realizei um sonho, publiquei um livro de poesia. Obrigada a todos que me acompanharam, me apoiaram e sobretudo que acreditaram em mim.

O carinho e a Amizade estavam no ar, por isso correu tão bem.
 Quem patrocinou o Porto D'Honra foi a Quinta do Pinto.
 Obrigada Maridão pela força!
Dois Amigos a quem estou eternamente grata, e que me ajudaram, incentivaram e estiveram comigo do inicio ao fim, neste evento e na sua preparação.

Para quem não assistiu ao lançamento, vou explicar o porque do poema a seguir. A minha filha que está a trabalhar em Inglaterra como Enfermeira, e não pode estar presente neste dia tão importante para mim, assistiu a tudo pelo Skipe, e pediu-me porque sabe que sou hiper-sensível, para não chorar, e eu fiz um esforço enorme, e consegui não chorar, só umas "lagriminhas" mas dizia muitas vezes para mim e em alto som, "Eu não vou chorar" então para as pessoas que estiveram comigo e pediram o poema "Eu não vou chorar" aqui está.

Eu não vou chorar!

Eu não vou chorar
Por ter realizado um sonho!

Eu não vou chorar
Por ter tantos e bons Amigos!

Eu não vou chorar
Por todos vocês acreditarem em mim!

Eu não vou chorar.
Por ter que ver a minha filha assistir
A este momento único pelo Skipe
Porque a porcaria deste país
A mandou emigrar,
E eu não pude receber o seu abraço!

Eu não vou chorar
Por ouvir um Amigo a recitar um poema
Que me e particularmente querido
“Pai”

Eu não vou chorar por ter Amigos
Que me ajudaram e incentivaram
A lutar por um sonho!

Eu não vou chorar
Porque o meu Pai não pode estar presente!

Eu não vou chorar,
Porque o meu Avô que se orgulhava de mim
Sei que me via, não me pode abraçar!

Eu não vou chorar,
Porque senti que a minha mãe,
Estava no Céu a rezar por mim
E Feliz!

Eu não vou chorar,
Porque tenho Amigos que posso sempre contar!

Eu não vou chorar
Porque tenho uma família linda
E orgulhosa de mim!

Eu não vou chorar
Porque vi e abracei pessoas
Que me viram crescer,
E sei que me amam!

Eu não vou chorar
Porque tive comigo poetas
Que acreditaram na minha poesia,
E fizeram da minha noite mágica!

Eu não vou chorar!
Porque realizei um sonho!

Cecília Macedo