domingo, 3 de abril de 2011

Vejo-te




















Vejo-te
Vejo-te nas pedras da rua
No sol e na lua

Vejo-te no mar e no rio
Ao passar de um navio

Vejo-te no pássaro que voa
Num esvoaçar perdido à toa

Vejo-te na noite e no dia
No ler de uma poesia

Vejo-te no espaço ocupado
Como se tivesses voltado

Vejo-te nos meus sonhos reais
Sonhos que não acabarão jamais

Vejo-te no brilhar de uma estrela
Num abstracto de uma aguarela

Vejo-te aqui e ali
Mas sei que te perdi!


Sinto tanta saudade mãe
...

Céci

Um comentário:

Xana disse...

Há pessoas que não podemos nem queremos deixar de ver e sentir.
Tá tão lindo Ceci...beijinho