quinta-feira, 23 de abril de 2009

Abril!











Fui Abril,

E também cravo,

Grito de liberdade,

Espingarda e soldado,

À espera da verdade

Fui para a rua gritar

Com alegria e emoção

Ninguém me podia parar

Abri as portas da prisão

Ontem, hoje e amanha,

Não quero mais opressão

Quero ser e serei

Teu Amigo e irmão.

Liar

8 comentários:

Agulheta disse...

Liar. E nestas palavras simgelas e puras com um belo sabor a Abril,estou contigo (camarada amiga irmã)que o Abril seja sempre o renascer de um dia.
Beijinho

Xana disse...

UAUUU LIar que grito de liberdade esse tão imenso e forte
boa amiga fora os oprimidos :) LOL

tá muito bonito adorei ;)

casa da poesia disse...

as portas que Abril abriu!...e...para ti e Abril...

"the flowers are all right"...!?...

JMTinoco disse...

Os blogs também são uma forma de Liberdade neste mundo cada vez mais controlado. Foi bom para mim apanhar este que me enche os olhos e alma. Vou voltar

Fernando L disse...

Gostei deste grito de Abril!

Bj

F.

Ana disse...

És uma lutadora "garota" linda adoro-te!

E adorei este teu grito de liberdade neste fantástico poema.

Estou contigo nesta luta, hoje e sempre.

Sente o meu abraço muito apertadinho.

Guga

utopia das palavras disse...

Ceci (kida)

Então o que é isso, moça? Fazer arrepiar a minha suave pele? Ai, ai!

Sim, um ligeiro arrepio pelo que aqui li! Abril tem destas coisas...inspira-nos! Parabéns!

Um cravo vermelho para ti
Beijo

poetaeusou . . . disse...

*
Liar-me-ei
a ti e ás tuas palavras,
,
brisas de Liberdade,deixo,
,
*