terça-feira, 12 de junho de 2007

Há dias...



Há dias assim
Há dias em que me sinto só,
Rodeada de muita gente,
E outros acompanhada quando estou só.

Há dias que falo muito
E não digo nada
E outros, não digo nada e falo muito

Há dias que me olho,
E me detesto
E outros que me olho e me adoro

Há dias que penso muito,
E não chego a conclusão nenhuma,
E outros que não penso
E as conclusões vêem até mim

Há dias que só pergunto, porquê?
Porquê, há dias assim?

Liar

Um comentário:

Ana disse...

Todos temos esses dias que tu muito bem soubeste explicar neste fantástico poema. Obrigada por este bom bocado que aqui passei a ler, mas volto acredita! Beijinhos muito grandes, Guga rsrsrs